Menu



RÁDIO  TREM
Recordando os Bons Tempos do Trem

AMIGOS   DO   PROJETO   RÁDIO   TREM ! 

UTILIDADE PÚBLICA; PARE! OLHE! ESCUTE!

PREVISÃO  ATUALIZAÇÃO  CLIMATEMPO:

 PROJETO RÁDIO TREM 

RECORDANDO OS BONS TEMPOS!

 PREVISÃO   ASTRAL   ATUALIZADA   PELO   HORÓSCOPO   VIRTUAL :  

  CONHEÇA   OS   APOIADORES   DO   PROJETO   RÁDIO   TREM ! 

 ACONTECIMENTOS,   DESTAQUES,   NOTÍCIAS   DO   MEIO   TRILHOS :

LINHA 8 PODE SER ESTENDIDA ATÉ SOROCABA.

– Por Portal Carapicuiba;

A Linha 8 conta com 24 estações e transporta, diariamente, mais de 600 mil pessoas

O Governo do Estado tem estudado fazer a concessão das Linhas 8 (Amador Bueno – Júlio Prestes) e 9 (Osasco – Grajaú), da CPTM, à iniciativa privada. Contudo, há também o plano de implantar o trem regional, ligando a Capital ao município de Sorocaba, no interior de São Paulo.

Respondendo a um seguidor numa rede social, o secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, disse que a extensão da Linha 8 até Sorocaba é estudada pelo governo, e que isso pode ser incluído na concessão.

“Temos estudos sendo feitos, com previsão de levar o trem de passageiros da Linha 8 até Sorocaba na Concessão que será colocada aos investidos privados”, explicou.

JANEIRO 2020 – FONTE/MATÉRIA; PORTAL CARAPICUIBA.


TRENS CHINESES VOLTARÃO A CIRCULAR NA SUPERVIA NESTA SEGUNDA-FEIRA (13/01).


Nesta segunda-feira (13/01/2020), os trens chineses da CRRC (China Railway Construction Corporation) que foram enviados para a manutenção, na SuperVia, desde o dia 18/11/2019, voltarão a circular, e os horários serão normalizados.

A retirada destes veículos obrigou a SuperVia a reorganizar o planejamento operacional de vários ramais por meses, aumentando intervalos e causando transtornos a milhares de passageiros.

O material rodante da CRRC, fruto de um segundo lote de compras feitas pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro foram adicionados a operação da SuperVia entre os anos de 2014 e 2016. Em setembro/2016, a Supervia identificou problemas técnicos nos veículos, em especial na caixa de tração (engrenagem que transmite energia do motor para eixo e rodas) e comunicou os fabricantes, a chinesa CRRC.

Após análise técnica, foi identifica a necessidade de substituição do tipo de peça. Desde novembro de 2018, a fabricante passou a realizar um recall até que em junho de 2019, em vistorias, novas falhas foram identificadas. Após a análise da diversas falhas, a própria CRRC solicitou a retirada dos veículos.

Lucas Evaristo (Opinião): Espero que os fluxos sejam normalizados e a SuperVia volte a atender com plenitude a necessidade de transporte do RJ.

Escrito por Lucas Evaristo em 12/01/2020.

 

JANEIRO 2020 – FONTE/MATÉRIA; Brasil Ferroviário.


Projeto básico da Linha 13 da CPTM até Bonsucesso pode ser contratado este ano.


A extensão da Linha 13-Jade da CPTM entre o Aeroporto de Guarulhos até o bairro de Bonsucesso poderá ser contratado este ano, de acordo com declarações do presidente da CPTM, Pedro Moro, em visita às obras da estação Mendes Vila Natal neste sábado, 11 de janeiro de 2020.

A extensão deve ganhar paradas como no bairro de São João, após a parada do aeroporto.

Metade dos passageiros não conhecem a Linha 13

Na ocasião, Moro disse que a pesquisa feita pela CPTM aponta que os próprios passageiros não conhecem a Linha 13, o que ajuda a explicar o baixo movimento da ligação ferroviária.

Atualmente a Linha 13 transporta em média 15 mil usuários por dia, contra os 120 mil projetados.


JANEIRO 2020 – FONTE/MATÉRIA; VIATROLEBUS.


15 meses após inauguração, trem para Cumbica que pode ter até 2.000 pessoas 

circula com 35.

Vagões vazios do Expresso para Guarulhos nesta segunda-feira (6) - Bruno Santos/Folhapress

Dia 6, primeira segunda-feira de 2020. O relógio marcava 11h57, e o trem surgia na plataforma da estação da Luz, no centro de São Paulo.

Não havia filas. Não havia tumulto. Não havia correria. Apenas 36 passageiros aguardavam pela chegada da composição. As portas fecharam ao meio-dia. É hora de o trem seguir para a sua segunda viagem do dia até o aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (Grande SP).

Os 36 passageiros não ocuparam nem os 40 assentos disponíveis em um dos oito vagões. Deu para viajar sozinho num vagão inteiro, limpo e climatizado, esticar as pernas e dormir no trajeto, que dura cerca de 30 minutos, sem paradas e com seguranças circulando pelo corredor.

Na volta, a Folha pegou o Expresso das 15h e viajou com outros 35 passageiros até a Luz.

A situação presenciada pela Folha ocorreu num dia em que Cumbica recebeu cerca de 145 mil passageiros, um pico nessa época do ano provocado pelas férias escolares. O número leva em consideração o total de pessoas que circularam pelos três terminais em voos que chegaram e decolaram do aeroporto.

A GRU Airport, concessionária responsável pela gestão do maior terminal aeroportuário do país, não informou quantos desses passageiros ficaram em São Paulo.

Mas nem a comodidade e a alta demanda de Cumbica fizeram o serviço da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) decolar. Até agora, o Expresso vem atraindo pouca gente.

Em 2019, atingiu uma média de 350 passageiros ou 35 ocupantes em cada uma das dez viagens (ida e volta) que faz nos dias úteis. Um trem da CPTM possui 320 assentos; incluindo quem viaja em pé, pode transportar até 2.000 pessoas.

Como o serviço expresso foi criado só em outubro de 2018, não é possível fazer uma comparação anual.

A linha 13-Jade da CPTM, da qual o Expresso faz parte, custou R$ 2,3 bilhões, valor pago com financiamento do BNDES e com dinheiro da Agência Francesa de Desenvolvimento e do Banco Europeu de Investimento.

O economista Flávio Roberto de França Júnior, 56, é um habitué do Expresso. Falou com a Folha sentado sozinho num vagão e com o laptop ligado. "É muito barato, limpo e seguro. Eu aproveito os 30 minutos da viagem para trabalhar já daqui."

"Mas não é um serviço de primeiro mundo. O ideal seria ter um trem já ligando o aeroporto de Congonhas [doméstico] a Guarulhos", diz. "O intervalo entre as viagens deveria ser menor. Isso atrapalha muito". Hoje, são duas horas entre uma viagem e outra, nos dois sentidos.

A assistente social Jaqueline dos Santos, 36, e o marido, o eletricista Roberival Silva, 41, viajaram no trem do meio-dia porque ficaram com medo de pegar o próximo, das 14h. O motivo: o voo do casal para Maceió (AL) era às 15h. "[O trem] deveria sair de 30 e 30 minutos. A gente tem que chegar muito antes no aeroporto por causa desses horários mais espaçados."

O Expresso foi inaugurado em 16 de outubro de 2018. Liga o centro da capital paulista ao aeroporto de Guarulhos em viagens diretas. Nos feriados e nos finais de semana, são três deslocamentos em cada sentido.

Rumo ao aeroporto, o primeiro trem parte às 10h. No sentido contrário, às 9h. O bilhete custa R$ 8,80 -o dobro do valor cobrado no serviço de transporte sobre trilhos nas demais linhas. Quem está no Metrô, precisa desembarcar na Luz e comprar o bilhete exclusivo do Expresso.

Mas o maior problema do serviço, apontado por Jaqueline e Roberival, é a falta de conexão direta entre o trem e os terminais de Cumbica.

Os 36 passageiros que estavam na viagem acompanhada pela Folha desembarcaram na estação Aeroporto (última da linha 13-Jade), que fica do outro lado da rodovia Hélio Smidt. Com malas em mãos, atravessaram uma passarela e ainda pegaram um ônibus para acessar a área de embarque.

"Gera um incômodo, né. O absurdo de dinheiro que gastou nisso aqui e ainda tem que pegar um ônibus até o terminal. Já gera um transtorno", reclama Roberival.

Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2020/01/15-mese...

JANEIRO 2020 – FONTE/MATÉRIA; REVISTA FERROVIÁRIA.


Começa a recuperação da malha ferroviária.

Em 24 meses, preveem o governo e concessionários, estará em operação o trecho ferroviário de 1.537 quilômetros ligando as cidades de Estrela D'Oeste, em São Paulo, e Porto Nacional, no Tocantins, com fluxo de 22,7 milhões de toneladas de carga por ano.

É ótima notícia porque sinaliza a conclusão de dois terços da Ferrovia Norte-Sul, espinha dorsal da projetada malha ferroviária brasileira. Deve-se aos governos Michel Temer e Jair Bolsonaro o desembaraço desse empreendimento relevante à integração nacional, iniciado há 35 anos na administração José Sarney.Significa que a partir de 2022 haverá interconexão ferroviária efetiva entre os Estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Tocantins e Maranhão. Ou seja, será possível o trânsito de cargas num arco ferroviário de pouco mais de três mil quilômetros ligando os portos de Santos (SP) e de Itaqui (MA). O custo logístico de exportação tende a cair significativamente para o agronegócio nesses cinco estados.

No porto de São Luís avança a construção de um terminal de uso misto, voltado para a Ferrovia Norte-Sul/Carajás, liderada por um consórcio do qual participam a maior corporação chinesa de infraestrutura e dois grupos privados.

A China já confirmou, também, interesse no empreendimento ferroviário para ligar Tocantins à Bahia (Ferrovia de Integração Oeste-Leste) e na conexão sobre trilhos entre Mato Grosso e Pará (Ferrogrão). Nos dois casos, as licenças para construção serão leiloadas este ano.

Há evidências de que está sendo intensificada a prospecção chinesa em infraestrutura no Brasil. No alvo, confirmou recentemente a China Communications Construction Company, estão duas dezenas de projetos de energia, portos, ferrovias, desenvolvimento de mobiliário urbano e agroindústria, com investimento potencial de R$ 102 bilhões.

Não é casual que o Brasil tenha se tornado o quarto destino global de investimentos diretos chineses entre 2010 e 2017. Recebeu 40% do capital aplicado na América do Sul, nesse período, porque apresenta oportunidades em energia e infraestrutura, tem mercado atraente e as relações comerciais fazem da China o maior cliente de 14 estados exportadores e o segundo dos demais. A expansão chinesa objetiva garantir suprimento de matérias-primas e alimentos básicos, além de desenvolver mercados para os produtos industriais nos quais se especializou, com alto nível de tecnologia embutida.

Governo e Congresso precisam refletir estrategicamente sobre a arquitetura dessa nova fase na parceria. É evidente a carência de capital em setores críticos, mas é necessário preparar a base de um relacionamento mais sofisticado com a China, assentado no desenvolvimento tecnológico, para desenhar um futuro muito além da dependência de investimentos em energia e infraestrutura e das exportações de commodities.

Fonte: https://oglobo.globo.com/opiniao/comeca-recuperacao-da-...

JANEIRO 2020 – FONTE/MATÉRIA; REVISTA FERROVIÁRIA.


Passageiros espiam a imensidão lá de fora (Fernando Martinho/Viagem e Turismo)

Sim, é possível viajar de trem pelo Brasil! Veja roteiros.

Percorremos cinco ferrovias para passageiros no Brasil. 
Foi uma viagem por uma profusão de histórias, rostos, paisagens. Foi Brasil na veia

* Por Laura Capanema; Set 2019, 15h35 - Publicado em 9 abr 2015, 18h01

Trem de longa distância, trem diário, trem de fim de semana. Trem que passa por estradas de ferro centenárias, serpenteia a Serra do Mar, corre por planícies pantaneiras, contorna pedaços raros de Mata Atlântica nativa. Tem trem pra todo mundo – e não estamos falando de Europa.

Ainda que a malha ferroviária brasileira não seja lá para inglês ver, temos quase 30 000 quilômetros de trilhos e estações que servem de cenário para novelas de época. Pois a Viagem e Turismo decidiu fazer um trem divertido: percorrer este Brasilzão através de suas ferrovias.

Escolhemos cinco trechos e passamos por quase todas as regiões do país. Foram 1.689 quilômetros dentro de marias-fumaças, litorinas e locomotivas diesel-elétricas. A epopeia, que começou em Minas Gerais, na estação imperial de São João Del Rei, só terminou 12 dias depois...

... LEIA NA INTEGRA, CLICANDO NO LINK DA MATÉRIA, ABAIXO;


FONTE/MATÉRIA; VIAGEM E TURISMO - ABRIL.

CPTM opera até mais tarde na noite do Réveillon.

Todas as estações das sete linhas da CPTM estarão abertas para embarque e desembarque até às 01h00 do dia 1 de janeiro.

Após a 01h00, somente as estações Luz, Tatuapé, Corinthians-Itaquera, Pinheiros, Santo Amaro, Palmeiras-Barra Funda e Tamanduateí, que fazem integração gratuita com o Metrô, estarão abertas para a transferência dos usuários e para o desembarque. A Estação Brás terá um horário diferenciado: funcionará para embarque e desembarque até as 2h. A partir desse horário, ficará aberta só para desembarque até o início da operação às 4h.

 Nesse período, o intervalo entre as composições será de 20 minutos em todas as Linhas CPTM, exceto a Linha 13-Jade, que irá operar com intervalo de 30 minutos. As demais estações do sistema continuarão funcionando na madrugada só para desembarque

DEZEMBRO/2019 – ViaTrolebus.


Natal nos Trilhos - Expresso Paulista.

Concluímos ontem à noite (Domingo 22/12/2019) nossa jornada com o "Expresso Paulista", circulando de Jundiaí até Guararema, atravessando a grande metrópole paulista, passando pela emblemática estação da Luz.

Muitas emoções e experiências inesquecíveis marcaram todos os dias em que o expresso circulou, desde São José do Rio Preto até chegar em Guararema. Nossos agradecimentos a todos que nos prestigiaram, por todo o carinho e receptividade em cada local por onde passamos; vocês deram um show de simpatia, alegria e amor!

Nossos agradecimentos a todos que tornaram possível essa grande realização; a toda a equipe que se dedicou e trabalhou arduamente para que tudo acontecesse, desde a equipe que trabalhou na reforma da locomotiva 9380, o pessoal que trabalhou na iluminação das locomotivas e carros, a equipe de bordo, equipagens das concessionárias, CCO's e diretorias da ABPF, Rumo, CPTM e MRS; sem essa união nada do que foi realizado teria sido possível.

Desejamos à todos um Feliz e Abençoado Natal e um Próspero Ano Novo.

E até a próxima oportunidade...

DEZEMBRO/2019 – ABPF.


Confira 12 viagens em trens de luxo para desbravar o mundo.

Com quartos luxuosos e privativos, restaurantes, bares e até mesmo bibliotecas, os trens espalhados pelo mundo proporcionam uma viagem inesquecível podendo fazer seus passageiros voltarem no tempo.

Confira os 12 melhores:

1.Venice Simplon - Orient Express - Imortalizado pela escritora Agatha Christie, o Expresso do Oriente chegou a ter sua rota interrompida, mas hoje é possível realizar a famosa viagem de luxo, que dura 24 horas e tem como objetivo fazer os turistas mergulharem na atmosfera típica da década de 1920. Com vagões originais da época, o trem foi totalmente restaurado e, por isso, suas passagens custam entre US$ 2.500 a mais de US$6 mil, dependendo das cabines e serviços extras escolhidos.

2.Al Andalus - Com os seus vagões de 1920 recentemente renovados, este trem é sem dúvida a maneira mais fascinante para conhecer as maravilhas da Andaluzia, no sul da Espanha. Seu serviço combina com um estilo Art Deco e conta com uma culinária requintada.

3.Danube Express - Este trem de luxo privado da Europa Central transporta apenas 50 passageiros e inclui todos os serviços, desde a recepção até passeios turísticos em cada parada. A bordo, em um elegante vagão, são servidos pratos preparados com menus tradicionais. O ambiente interno é uma mistura de tecnologia moderna com mobiliário antigos. Entre os principais itinerários escolhidos está o trajeto de 9 noites que liga Budapeste a Veneza.

4.Helsinque / São Petersburgo - As ferrovias finlandesa (VR) e russa (RZD) criaram uma joint venture para operar um serviço de alta velocidade que liga Helsinque a São Petersburgo. Desde 2010, os dois trens elétricos conectam as duas cidades em 3 horas e meia.

5.Trenhotel Lusitania - O trem noturno opera duas linhas e permite que o passageiro viaje de Madri a Lisboa, em menos de 11 horas, entre um copo de sangria e um prato de Jamon Iberico.

6.Papai Noel Express - Para os amantes do Natal e da neve, não há trem melhor do que o Papai Noel Express. Esta é uma viagem ao norte da Europa, que atravessa a Finlândia, partindo de Helsinque e chegando na Lapônia, em menos de 15 horas. A bordo, é possível aproveitar um vagão-restaurante e escolher entre acomodações econômicas e luxuosas.

7.Euronight Chopin - Talvez não exista uma opção melhor para fazer uma viagem entre Áustria, República Tcheca, Polônia, Alemanha, Eslovênia, Croácia e Hungria. O Euronight oferece aos turistas várias possibilidades, como assentos reclináveis, beliches de segunda classe e quartos premium, com banheiros privativos. É aconselhável reservar os bilhetes com antecedência, pois têm preço acessível. 

8.Caledonian Sleeper - O trem noturno opera da estação London Euston à 5 destinos na Escócia: Edimburgo, Glasgow, Fort William, Aberdeen e Inverness. O tempo de viagem varia entre 7,5 horas e quase 13 horas. Esta é opção ideal para aqueles que pretendem evitar viagens de avião. Os trens foram reformados durante o verão de 2019, o que substituiu os vagões construídos na década de 1980. 

9.Thello - Para quem quer dormir em Paris e acordar em Veneza basta viajar com o Thello. O trem noturno que liga a França e a Itália conta com beliches compartilhados e até mesmo cabines luxuosas. A viagem dura 14 horas. Se adquiridos antecipadamente, os ingressos têm custo de 44 euros.

10.Lev Tolstoy - Em homenagem a um dos maiores escritores russos, Lev Tolstoi, o trem conecta Helsinque, na Finlândia, com Moscou, a capital russa, em cerca de 15 horas. O transporte percorre mais de 1.000 quilômetros e oferece diferentes possibilidades para dormir, como suítes com banheiros privativos e beliches compartilhados. A viagem na segunda classe tem custo entre US$ 120 e US$ 150.

11.Intercités de Nuit - O trem noturno liga Paris a Briancon, nos Alpes franceses, e a Toulouse e Latour de Carol, no sul.   Esta é a opção ideal para quem deseja desfrutar de paisagens exuberantes pela janela do trem.

12.Nice Moscow - O trem que atravessa a Europa continental está nos trilhos desde 2010 e conecta Nice com a capital russa, Moscou. O transporte é um dos mais longos da Europa e também faz uma escala em Berlim, Alemanha, Varsóvia e Polônia. (ANSA)

Fonte: https://istoe.com.br/confira-12-viagens-em-trens-de-lux...

DEZEMBRO/2019 – REVISTA FERROVIÁRIA.


Mineiros ajudam a preservar a memória ferroviária.

Hobby do ferreomodelismo, prática comum de Norte a Sul do Brasil, 

mata a saudade dos áureos tempos das ferrovias - Crédito: Divulgação

As primeiras miniaturas de trens foram fabricadas por volta de 1830, por artesãos alemães. De lá para cá, muita coisa mudou, principalmente no Brasil, onde o transporte de passageiros pelas ferrovias deixou de acontecer, com exceção dos passeios turísticos. Mesmo assim, a paixão de algumas pessoas por este hobby se intensificou.

De Norte a Sul do Brasil, muitas pessoas têm se interessado pelos trens elétricos em miniatura, seja por pura diversão, hobby ou mesmo para preservar a memória ferroviária do País. Em diversas cidades mineiras, por exemplo, alguns ferreomodelistas possuem verdadeiros 'patrimônios' em casa, e até hoje os trens despertam curiosidade e saudosismo nas pessoas.

Em Belo Horizonte, o administrador de empresas aposentado Paulo de Assis Fonseca, 73 anos, gosta de trens desde a infância, por volta de 1952, mas passou a se dedicar ao hobby há pouco tempo. "Comecei há dois anos e meio, pois somente agora tive espaço para montar uma maquete, onde rodo minhas três locomotivas e seis vagões. Como sempre gostei de desenho e arquitetura, fiz uma pequena maquete seguindo algumas instruções do material da Frateschi. Não vejo esse hobby como uma paixão, mas sim um gosto dos tempos em que brincar era algo mais do que simplesmente apertar botões", afirma Fonseca. A Frateschi é a única fabricante de trens elétricos em miniaturas e réplicas de composições reais na América Latina.

De acordo com o aposentado, há até uma entidade em Belo Horizonte que reúne os aficionados por este hobby, a Associação Mineira de Ferreomodelismo. "Com a idade que tenho, os trens em miniatura são uma distração para mim, uma terapia. Este hobby é bom para quem aprecia desafios, belas paisagens, tranquilidade e, porque não, trabalhos manuais e lembranças das boas viagens de trens. Sei que é difícil os jovens de hoje cultivarem o gosto pelas ferrovias, pois no Brasil pouco se fala nelas e há poucos projetos turísticos ferroviários, mas muitas pessoas já estão percebendo que passear de trem é um evento agradabilíssimo", conclui.

Já em Lavras, o motorista de caminhão Edvaldo de Assis Serafim, de 59 anos, possui trens elétricos há mais de 25 anos. "Construí minha maquete com trilhos, estação, oficina, caixa d'água e me divirto bastante. Ela me ajuda até a controlar minha depressão. Quando estou de férias, passo o dia ao redor da maquete, onde rodo minhas duas locomotivas e meus 19 vagões", conta. Seu pai foi mecânico da RFFSA e, às vezes, Serafim ficava à noite com ele na oficina. Daí veio a minha paixão pelos trens e, depois, pelo ferreomodelismo", finaliza.

Em Uberaba, o ferroviário Luiz Antônio de Freitas Filho, de 25 anos, que trabalha na área de manutenção de locomotivas, é aficionado por trens desde criança, quando ganhou de seu pai uma caixa de trens da Frateschi, hoje única empresa na América Latina a fabricar trens em miniatura e que em 2017 completa 50 anos de atividades. "Passávamos finais de semana e madrugadas montando os trilhos e construindo nossa maquete. Desde então já se passaram 16 anos, e continuamos firmes neste hobby", diz Freitas, que possui cerca de 160 locomotivas e 400 vagões em sua coleção.

Os trens estão presentes em sua vida praticamente desde seu nascimento, pois sempre morou próximo à estação ferroviária da cidade. "Meu pai levava-me para ver os trens, bem antes de eu mexer com este hobby. Meu bisavô paterno era ferroviário da Mogiana, mecânico de locomotiva a vapor, ou seja, já está no sangue. Com certeza, é um hobby que irei passar para os meus filhos, pois não podemos deixar a tradição acabar", explica Freitas, que mexe diariamente em sua coleção e se reúne, com frequência, na casa de amigos ou mesmo em uma passagem de nível na rua Espanha, onde todos conversam e veem os trens passarem.

O vigilante Rogério Silva Freitas, de 39 anos, morador de Uberlândia, cultiva este hobby desde 2007, quando se encantou por algumas miniaturas de trens em uma loja durante um passeio pelo shopping da cidade e resolveu, então, comprar uma caixa de trens da Frateschi. "Desde criança sempre gostei de trens e hoje já possuo 53 locomotivas e 108 vagões. Não herdei essa paixão pelo hobby, mas pretendo passá-lo para meus filhos, que adoram muito", comenta Freitas. Mesmo não possuindo uma maquete, ele mexe em sua coleção com frequência. "Estou sempre limpando as locomotivas e os vagões, mas sonho em ter, algum dia, uma grande maquete para colocar toda minha coleção", conclui.

Mercado atraente - Minas Gerais é um dos mercados mais atraentes para a Frateschi Trens Elétricos, empresa com sede em Ribeirão Preto, no interior paulista, que possui mais de 50 anos de atuação no mercado e é a única fabricante de trens elétricos em miniaturas e réplicas de composições reais na América Latina. "As pessoas pensam que o transporte ferroviário morreu, mas ele está vivo e em expansão. A ferrovia é de valor estratégico imprescindível para um país como o Brasil, e este crescimento ajuda a fomentar ainda a mais a paixão que muitos brasileiros têm pelos trens, sendo que muitos passam o hobby do ferreomodelismo para as futuras gerações", diz Lucas Frateschi, diretor da empresa. No Brasil, inclusive, existem diversas associações que reúnem os amantes deste hobby saudável e interessante.

Fonte: https://diariodocomercio.com.br/negocios/mineiros-ajuda...

DEZEMBRO/2019 – REVISTA FERROVIÁRIA.


Empresa alemã apresenta estudo para reconstruir o monotrilho em Poços de Caldas, MG.

Uma empresa alemã apresentou nesta terça-feira (17) em Poços de Caldas (MG) um estudo para reconstruir o monotrilho na cidade. A ideia é que futuramente o monotrilho faça parte de um plano de mobilidade integrada no município.

A comitiva de executivos alemães apresentou um vídeo de como será o novo monotrilho. A proposta é que ele tenha estações modernas e que as novas locomotivas não precisem de condutores.

Quando nós aprendemos sobre a cidade, sobre os moradores, nós decidimos fazer uma coisa ainda maior que o monotrilho, trazer um plano de mobilidade integrada para a cidade, disse o diretor da empresa alemã, Roger Dirksmeier.

Em janeiro deste ano, foi feito um acordo judicial e toda a estrutura do monotrilho foi entregue pelos antigos proprietários para a prefeitura. A partir daí, a empresa alemã se mostrou interessada em assumir o projeto. Em junho deste ano, eles assinaram um memorando de entendimento e começaram os estudos, que são custeados pelo governo alemão, para saber se é viável reconstruir o monotrilho.

O projeto apresentou mostrou que é possível reconstruir o monotrilho, mas os estudos ainda não terminaram. A expectativa agora é que o estudo completo fique pronto no final do mês de janeiro. Agora eles vão apontar se é economicamente viável colocar o monotrilho para funcionar novamente.

O pré-estudo apresentado nesta terça-feira mostra ainda que o monotrilho atenderia o turismo, mas seria um transporte de massa. Com interligação, por exemplo, com o transporte público feito pelo ônibus. Para o prefeito, essa seria uma alternativa de transporte para a cidade.

A ideia é que seja no futuro um transporte integrado na verdade, para que possa através desse sistema elevado, que não haja circulação de ônibus no Centro da cidade, que possa ser integrado com esse monotrilho. Mas isso logicamente é para o futuro da cidade, não é uma coisa que eu estou comentando que vai acontecer amanhã. É um projeto extremamente ousado, moderno e fundamental para a nossa cidade, para que a gente prepare Poços de Calda para o desafio do futuro que vem por aí, disse o prefeito Sérgio Azevedo (PSDB).

De acordo com o prefeito Sérgio Azevedo, mesmo que os estudos apontem que é viável reconstruir o monotrilho, a empresa alemã só deverá assumir o serviço depois de participar de uma licitação para a concessão do trabalho.

Fonte: https://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2019/12/17...

DEZEMBRO/2019 – REVISTA FERROVIÁRIA.


Campanha CBTU-BH:´Gentileza Urbana é presentear as pessoas com o seu cuidado`.

Começou nesta segunda (16) e segue até a próxima sexta (20) a campanha “Gentileza Urbana é presentear as pessoas com o seu cuidado” – ação da CBTU Belo Horizonte, que busca sensibilizar os usuários para a importância de preservar o patrimônio público. A ideia é difundir regras de boa convivência e atitudes mais cidadãs que podem facilitar o dia-a-dia da população que utiliza o metrô, entre as quais: preservar bem as estações, jogar o lixo na lixeira, coibir a colagem indevida de cartazes e a propagação de pichações, respeitar a prioridade das pessoas com mobilidade reduzida, tratar a todos com educação e gentileza, entre outras pequenas atitudes que podem fazer a diferença diária do transporte público. 

Mais de 59 milhões de usuários circulam pelo Metrô de BH anualmente e cerca de 86 mil viagens são realizadas, anualmente, em todo o sistema. A proposta da nova campanha é tornar essas experiências de viagem cada vez mais agradáveis e prazerosas, sejam esses deslocamentos a trabalho, estudo ou lazer. Sabemos que mais de 4 milhões de usuários se movimentem, mensalmente, no vai e vem do metrô, mas se cada um colaborar dá pra deixar tudo brilhando.

Respeito e cuidado mudam tudo: A CBTU Belo Horizonte recolhe diariamente cerca de 1,5 tonelada de lixo ao longo de toda a via do metrô. A limpeza dos 50 quilômetros de canaletas, que recebem a água de chuva, também é feita rotineiramente. Ao todo, cerca de 160 pessoas trabalham diariamente na limpeza das 19 estações. 

A Companhia também gastou em média R$ 53 mil com a limpeza de pichação em trens e estações, nos últimos três anos. Boa parte dos valores foram destinados à recomposição de janelas, bancos, troca de extintores, conserto de bilheterias e estruturas físicas depredadas. Entre janeiro e novembro de 2019, a CBTU-BH registrou pelo menos 12 ocorrências de dano ao patrimônio público. E, vale lembrar que o alto custo do vandalismo não pode ser medido apenas em cifras, já que o valor monetário não reflete o prejuízo total causado aos passageiros. Para reverter esse descuido sem tamanho é fundamental combater hábitos perversos e contar com a ajuda de toda a população!

Neste Natal e durante todo o novo ano presenteie as pessoas e a você próprio, com o que há de melhor em respeito e cuidado!

DEZEMBRO/2019 – CBTU.


Com pior ano da década, setor ferroviário encara 2020 em luta contra o desmonte.

Vicente Abate, da ABIFER, espera que a encomenda de equipamentos para a Linha 17-Ouro seja confirmada para a indústria nacional

A ABIFER - Associação Brasileira da Indústria Ferroviária recebeu a imprensa na manhã desta quarta-feira, 11 de dezembro de 2019, para um balanço do que foi o ano para o setor de cargas e passageiros sobre trilhos, e quais as perspectivas para 2020.O Diário do Transporte esteve presente no encontro.

Se as perspectivas para 2019, feitas no ano passado, eram pessimistas, a realidade, no entanto, mostrou-se muito pior do que o imaginado.

Segundo Vicente Abate, os baixos volumes de entregas de vagões de carga, locomotivas e carros de passageiros em 2019 bateram a pior marca dos últimos 10 a 12 anos."A ociosidade da indústria ferroviária encontra-se perto de dramáticos 90%", destacou Abate, que a ponta que na área de passageiros a indústria completou seis anos sem qualquer encomenda significativa no mercado nacional. De acordo com o presidente da ABIFER, a ociosidade significou desemprego na indústria ferroviária: nos últimos anos perdeu 15% da força de trabalho, cerca de 3 mil trabalhadores.

Pelos dados apresentados hoje, em 2018 o mercado doméstico consumiu apenas 48 carros fabricados no Brasil para a SuperVia, além de 64 importados pela CPTM. Abate afirma que a indústria tem sobrevivido de algumas exportações.

A concorrência da China tem sido um problema para a indústria baseada no país. O setor tem forte expectativa para 2020 quanto à encomenda dos equipamentos para a Linha 17-Ouro de monotrilho do Metrô de SP - espera-se que ela seja confirmada para a indústria nacional. Como mostrou o Diário do Transporte, o Consórcio Signalling foi o que ofereceu a melhor proposta na Licitação da Linha 17, realizado no dia 07 de outubro de 2019. O Consórcio é composto por duas empresas nacionais - Ttrans e Bom Sinal - e uma empresa suíça, a Molinari.

Além disso, a ABIFER aguarda para 2020 as retomada das obras da Linha 6-Laranja do Metrô SP, além da expansão da Linha 2 Verde até Penha.

Da mesma forma, outra expectativa do setor, segundo Abate, fica por conta das aguardadas licitações da CPTM para 34 trens, e do Metrô de SP, de outros 44. Para equiparar a concorrência com os fabricantes de fora, a ABIFER luta por isonomia tributária. Segundo documento apresentado pela entidade, em parceria com o SIMEFRE - Sindicato Interestadual de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários, alguns estados têm aplicado a imunidade tributária na importação, o que leva a uma concorrência injusta com o produto nacional, suprimindo empregos e renda no Brasil.

As entidades estão apostando agora na recente decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) que aprovou recentemente a renovação antecipada da Rumo Malha Paulista. Com isso, afirma Abate, o volume de vagões poderá se elevar para cerca de 2 mil unidades em 2020. Para se ter ideia do que isso significa, em 2019 esse volume ficará abaixo de mil unidades (contra 2.556 vagões em 2018).

O quadro continua desanimador em 2020, no entanto, para locomotivas e carros de passageiros: no primeiro caso, apenas 40 unidades (em 2018 foram 64, e em 2019 a metade, 34). Já para carros de passageiros, 126 unidades (contra 312 em 2018, e 104 em 2019), sendo que 70% destinados à exportação para o Chile.A expectativa agora é que o caso da Rumo sirva de paradigma para a antecipação das demais renovações de concessões, o que poderá injetar recursos na indústria e gerar encomendas vultosas.

Ao final do encontro, Abate renovou suas esperanças de que as autoridades terão bom senso para preservar a indústria ferroviária instalada no país, interrompendo uma operação de desmonte que já está em curso.

Fonte: https://diariodotransporte.com.br/2019/12/11/com-pior-a...

DEZEMBRO/2019 – REVISTA FERROVIÁRIA.


TCE adverte CPTM sobre lentidão nas obras de ampliação do sistema de suprimento de energia de tração das linhas 7 - Rubi e 10 - Turquesa.

Sistema pode melhorar atendimento nas duas linhas

O conselheiro do TCE - Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, Renato Martins Costa, advertiu a CPTM - Companhia Paulista de Trens Metropolitanos sobre a lentidão no cumprimento do cronograma das intervenções de fabricação, fornecimento e instalação das readequações e ampliação do sistema de suprimento de energia de tração das linhas 7 - Rubi (Brás/Luz/Francisco Morato/Jundiaí) e 10 - Turquesa (Brás/Tamanduateí/Santo André/Rio Grande da Serra). O despacho foi publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo de sexta-feira, 06 de dezembro de 2019.

A empresa responsável pelos serviços é a Siemens Mobility Soluções de Mobilidade Ltda. (a denominação anterior era Consórcio Linhas Norte-Sul). Segundo o relatório da corte de contas, foram executados apenas 15,92% dos serviços, mas já se passaram 83,33% do prazo de contratual.

O contrato é de 2012, ficou paralisado e foi retomado em 01º de agosto de 2019. O final da vigência do contrato estava previsto para 23 de janeiro de 2020.

No despacho, o conselheiro alerta para a necessidade das correções das falhas encontradas pelo departamento de fiscalização do TCE e que o julgamento do contrato vai levar em conta este aviso.

Neste contexto, recomendo aos responsáveis que, se for o caso e naquilo que ainda não o fizeram, adotem efetivas medidas corretivas que se façam necessárias para o saneamento das falhas apontadas. Vale destacar que este despacho não configura qualquer fixação de prazo para apresentação de justificativas ou abertura do contraditório, servindo apenas como ALERTA de que as correções acima recomendadas serão avaliadas durante o decurso do prazo contratual e quando do julgamento da matéria, nos termos legaisO Diário do Transporte apurou que a ampliação do sistema de suprimento de energia de tração das linhas 7 - Rubi e 10 - Turquesa é considerada essencial pela corte de contas para a melhoria dos serviços, implantação do novo sistema de controle de trens que pode aumentar o número de composições em operação ao mesmo tempo e diminuir os intervalos (CBTC) e para o aumento da velocidade dos trens, reduzindo o tempo de viagens.

Por meio de nota, a Siemens Mobility informou ao Diário do Transporte que o contrato terá um novo cronograma e que a retomada das intervenções será apenas na linha 10-Turquesa.

A Siemens Mobility informa que o referido contrato esteve suspenso entre 2015 e agosto de 2019 e passará por aditamento de prazo de acordo com um novo cronograma estabelecido pelas duas empresas. A empresa informa ainda que a retomada do contrato considera apenas as obras da linha 10.

Também em resposta ao Diário do Transporte, a CPTM informou que haverá mudança apenas de prazo e não de valor e que, para a linha 7, os investimentos devem vir com a concessão do Trem Intercidades, que vai contemplar a ligação também.

A CPTM acompanha o processo no TCE e está tomando as providências cabíveis. A retomada do contrato de energia foi efetivada no mês de agosto de 2019 e contempla neste primeiro momento a linha 10. O valor do contrato é de R$ 117.478.360,26 e haverá aditamento somente de prazo, para readequação do cronograma de execução das obras. Para a linha 7, estão sendo feitos estudos em conjunto com a modelagem de concessão do Trem Intercidades, para escolha da melhor solução a ser adotada.

Fonte: https://diariodotransporte.com.br/2019/12/09/tce-advert...

DEZEMBRO/2019 – REVISTA FERROVIÁRIA.


Movimentação de contêineres tem previsão de crescer 40%.

Operando em Jundiaí desde dezembro de 2017, a Contrail Logística, empresa responsável pelo Terminal Intermodal de Jundiaí (Tiju), passou a oferecer, em outubro, serviços agregados ao transporte de contêineres: armazenagem, desova e estufagem de cargas.

De acordo com o diretor Comercial e de Operações da Contrail, Diego Bueno, os novos serviços oferecidos ampliam as vantagens competitivas para as indústrias da região. "Estamos oferecendo os serviços de estufagem, armazenagem e movimentação de carga solta em nosso armazém coberto de 2 mil metros quadrados. Isso traz uma opção em relação a serviços que antes só eram realizados em áreas localizadas no Porto de Santos e também permite que as empresas, com falta de estrutura para carga e descarga de contêineres, possam utilizar destes serviços conosco", explicou Bueno.

"A novidade vem provocando aumento do volume de carga e da demanda por parte das empresas de Jundiaí e região: mais saídas diárias do Tiju até o Porto de Santos. A movimentação média mensal deve aumentar em 40% sobre os 2 mil contêineres atualmente", anunciou, explicando que na segunda quinzena de outubro, a Contrail operacionalizou o primeiro lote com 38 contêineres de uma empresa do segmento de celulose.

"A empresa encontrou no Tiju uma alternativa para escoamento de sua produção com mais eficiência e, consequentemente, com redução de custos", comentou.De acordo com Bueno, além da ligação entre o Porto de Santos e Jundiaí, a Contrail também oferece outras rotas ligando Jundiaí ao Rio de Janeiro e Paulínia a Anápolis, em Goiás.

O transporte multimodal - caminhão / trem / navio - oferece como principais vantagens a eliminação com custos de armazenagem, mais segurança, sustentabilidade e maior capacidade de atendimento. "A ferrovia se tornou uma opção mais competitiva e atrativa em relação ao transporte rodoviário com a redução de custos logístico total e estrategicamente importante para que o embarcador não fique preso a um único modal de operação", explicou.

O Terminal

Atualmente, o Tiju está numa área de 75 mil metros quadrados, com desvio ferroviário de 450 metros e capacidade de operacionalização de trens com até 21 vagões, com capacidade de transporte de até 84 Teus por trem.

A Contrail oferece os serviços de transporte multimodal integrado à ferrovia da MRS Logística e/ou VLI; entrega ou coleta com transporte rodoviário; serviços acessórios como armazenagem de contêineres cheios e vazios; transbordo ferroviário edepot dos principais armadores

Fonte: https://www.jj.com.br/jundiai/movimentacao-de-conteiner...

DEZEMBRO/2019 – REVISTA FERROVIÁRIA.


EMTU classifica três propostas em licitação para segunda fase do VLT da Baixada.

Sistema de trens leves já deveria ter todo o trecho entregue

A EMTU - Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos divulgou nesta quinta, 05 de dezembro de 2019, a continuação do processo de licitação para a construção da segunda fase do VLT - Veículo Leve sobre Trilhos, que compreende 14 estações entre a Avenida Conselheiro Nébias e o Valongo, em Santos.

Foram classificadas nesta fase as propostas da construtora Queiroz Galvão S.A ; do Consórcio TTE (VLT), formado pelas empresas Trail Infraestrutura Eireli, Terracom Construções Ltda. e Engefel Engenharia Civil e Ferroviária Ltda; e do Consórcio Conselheiro Nébias/Valongo, formado pelas empresas Construtora Norberto Odebrecht S.A., OEC S.A. e Odebrecht Engenharia e Construção Internacional S.A.

Esta fase da concorrência leva em conta as propostas técnicas.

Como mostrou o Diário do Transporte, em 30 de agosto de 2019, a EMTU tinha classificado dez empresas ou consórcios na fase da análise das propostas de preços.As três classificadas nesta fase também obtiveram os melhores resultados com a oferta de preços mais baixos.

1º) Queiroz Galvão: R$ 217,7 milhões - com R$ 217.732.987,47 (duzentos e dezessete milhões setecentos e trinta e dois mil novecentos e oitenta e sete reais e quarenta e sete centavos)

2º) Consórcio TTE (VLT):  R$ 233,8 milhões - formado pelas empresas Trail Infraestrutura Eireli, Terracom Construções Ltda. e Engefel Engenharia Civil e Ferroviária Ltda., com R$ 233.851.672,48 (duzentos e trinta e três milhões oitocentos e cinquenta e um mil seiscentos e setenta e dois reais e quarenta e oito centavos).

3º) Consórcio Conselheiro Nébias/Valongo: R$ 233,9 milhões - formado pelas empresas Construtora Norberto Odebrecht S.A., OEC S.A. e Odebrecht Engenharia e Construção Internacional S.A., com R$ 233.920.607,14 (duzentos e trinta e três milhões novecentos e vinte mil seiscentos e sete reais e quatorze centavos).A partir da publicação desta quinta, 05, foi aberto prazo de cinco dias para eventuais recursos.

Fonte: https://diariodotransporte.com.br/2019/12/05/emtu-class...

DEZEMBRO/2019 – REVISTA FERROVIÁRIA.


 ACOMPANHE   O   PROJETO   RÁDIO   TREM   PELAS   REDES   SOCIAIS !   

 FIQUE   LIGADO   NA   PROGRAMAÇÃO   DA   WEB   RÁDIO   TREM !   

 
PROGRAMA 
HORÁRIO


EXPRESSO DA MADRUGADA - MOMENTOS ETERNOS 

(Sucessos Nacionais e Internacionais de várias épocas, 
Parcelas da História da Ferrovias)


Diariamente - 01:00 às 05:00

 
MOMENTO DE ORAÇÃO MANHÃ

(Oração do Pai Nosso)

(Execução do Hino Nacional do Brasil)
 


Diariamente - 05:00


TREM BRASIL - COISAS DO BRASIL

(O Trem Brasil destaca a Musica Brasil Caipira, Raiz, Regional, Sertaneja)



Diariamente - 05:05 às 07:00 



TREM MISTO - PROGRAMAÇÃO MISTA
(Sucessos Nacionais e Internacionais que marcaram épocas,
Parcelas da História da Ferrovia)

(Aos Domingos, Recordação de Comerciais Antigos, que marcaram épocas)


FAIXA DA SAUDADE - ANOS 1950, 60, 70...
(Recordação de comerciais antigos)

(Jornal do Brasil, Segunda a Sexta 17h, na entrada da Faixa da Saudade. Conteúdo atualizado pela empresa de hospedagem Maxcast)

Segunda a Sexta - 07:00 às 17:00

Sábado - 07:00 às 15:00

Domingo - 10:00 às 16:00


Segunda a Sexta - 17:00 às 18:00

Domingo - 07:00 às 09:00


ESTAÇÃO DO SAMBA

(Sucessos do Samba que marcaram suas respectivas épocas)

(Recordação de Comerciais Antigos que marcaram épocas)
  

Sábado - 15:00 às 17:00


TRENZINHO DO CAIPIRA

Uma viagem pela música brasileira com Prof. André Galdino

(A história e os maiores sucessos dos grandes artistas brasileiros)


Sábado - 17:00 às 18:00

Reapresentação:

Domingo - 09:00 às 10:00


TREM DA JOVEM GUARDA - ESPECIAL

(Sucessos da época da Jovem Guarda, Anos 1960 e 70) 

(Recordação de Comerciais Antigos que foram destaques em suas épocas)
  

Domingo - 16:00 às 18:00


MOMENTO DE ORAÇÃO TARDE

  (Oração da Ave Maria, Pai Nosso e de São Francisco)

Diariamente - 18:00



ESTAÇÃO POP - NOITE DE SUCESSOS

(Domingo a Sexta, os Sucessos da Musica Pop que marcaram épocas, 
Parcelas da História da Ferrovia)


(Aos Sábados, Estação Pop - Flash Back, com o Balanço dos Anos 60, 70, 80...)

(Recordação de comercias antigos, aos Sábados e Domingos)

Diariamente - 18:20 à 01:00

 AGENDA   RÁDIO   TREM   CULTURAL :

   Paróquia Nossa Senhora Aparecida dos Ferroviários.

 Rua Almirante Brasil 125, próximo ao Metrô Bresser - Mooca, São Paulo - SP. 

CEP 03164 - 120  Fone (11) 2796 6016

* Página; https://nsaparecidadosferroviarios.blogspot.com/

O Projeto Rádio Trem compartilha graciosamente, em forma de apoio.


O TREM CULTURAL DOS IMIGRANTES, opera aos Sábados, Domingos e em alguns Feriados, 
entre as 11h e 16h, com saídas a cada hora em média. 
"Cada passeio, sem visita ao pátio, dura aproximadamente 25 minutos."

Rua Visconde de Parnaíba, 1253, em frente ao Museu da Imigração.
"A 700 metros da Estação Bresser - Mooca do Metrô."

* Informações: Fone (11) 2695 1151 "Atende em Horário Comercial."
Página do Trem Cultural dos Imigrantes no Facebook.

O Projeto Rádio Trem compartilha essa divulgação, em forma de apoio.


*INFORMAÇÕES, CLIQUE AQUI!

O Projeto Rádio Trem compartilha essa divulgação, em forma de apoio.


* INFORMAÇÕES CLIQUE AQUI!

O Projeto Rádio Trem, compartilha essa publicação, em forma de apoio.


NOTÍCIAS  DO  JORNAL  CONTÁBIL :

TRENS   URBANOS
METRÔS   VLT`s :  

 SISTEMAS METROFERROVIÁRIOS 

DO BRASIL 

Abaixo você encontra Logos com links para sites de  operadoras de Trens Urbanos, Metrôs e VLTs de Regiões Metropolitanas, para que você possa acessar e planejar os seus deslocamentos.

Estes sites estão disponibilizados gratuitamente aqui no site, NÃO havendo qualquer vinculo comercial e ou publicitário, com as referidas empresas. 

Esta é uma ação de prestação de serviço do Projeto Rádio Trem, em forma de utilidade pública. 

Clique, consulte e boa viagem!

Equipe Projeto Trem

TRENS  DE PASSAGEIROS :

HORÁRIO  DE  BRASÍLIA  (DF)  BR : 

RÁDIO   TREM   SÃO   PAULO   (web)